quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Brevíssimos comentários sobre a “infantilidade” dos soldados partidários nas redes sociais


1) Começo por aqueles que declaram apoiar Aécio Neves:

  • Não é interessante como quando as “pesquisas” de certos institutos indicavam a vantagem de seu candidato, eles cantavam vitória, engrandecendo as previsões, mas quando apontam Dilma Rousseff como vencedora, os mesmos institutos são acusados de fraudulentos? Alguém racionalmente coerente consegue explicar isso?... Sinto vergonha por essas pessoas!

  • Uma das mais importantes bandeiras historicamente defendidas pelo PSDB, e defendida em vários momentos por Aécio Neves, tem sido a proteção à liberdade de expressão – a liberdade da imprensa, por exemplo. É ridículo e revoltante ver um chamado feito por alguns, nas redes sociais, a se boicotar artistas que apoiam a candidatura de Dilma Rousseff. Depois reclamam das piadas feitas pelos ativistas petistas sobre os supostos eleitores de Aécio!... Democracia e liberdade, para mim, implicam, dentre tantas outras coisas, na defesa do direito à opinião discordante, na defesa da liberdade daqueles que acreditam em coisas completamente diferentes das quais acredito dizerem o que querem. Alguém racionalmente coerente consegue explicar esse comportamento ridiculamente incoerente?... Novamente, sinto vergonha por essas pessoas!

2) Sobre os declarados eleitores de Dilma Rousseff:

  • Esses, por sua vez, acreditam ser a encarnação da sabedoria e conseguem utilizar argumentos tão rasos que sinto vergonha por eles – especialmente aqueles mais instruídos que se utilizam das mesmas artimanhas infantilizadas. Pense naquelas acusações contra o candidato do PSDB, especialmente as que o retratam como um “playboy filhinho de papai”. Se isso fosse suficiente para desqualificar alguém politicamente, eu usaria a acusação contra o passado da presidente-candidata como guerrilheira – que, claro, conseguiram transformar em imagem duma “lutadora pela democracia”... e eu me recuso a entrar nesse tipo de discussão com os crentes dogmáticos nesses “libertadores” nacionais (é mais fácil discutir teologia com cristãos fundamentalistas do Kentucky!). Essa gente supostamente instruída ignora, em suas argumentações nas redes sociais, os processos de construção de mitos e deixam de analisar seus próprios “discursos”. É algo triste de ver!

  • É inacreditável como pessoas supostamente tão ilustradas prosseguem com seus argumentos ignorantes sobre o “fim de direitos”!... Pelo amor da racionalidade, estudem um pouco como funcionam as leis deste país! Direitos constitucionais e leis promulgadas pelo Congresso não podem ser anuladas por um Presidente da República – a não ser que estejamos numa ditadura novamente, e ninguém pode acusar o PSDB ou seu candidato de estarem tentando estabelecer uma, seja ela dos capitalistas ou do proletariado (diferentemente dos antigos “libertadores”, que se tornaram o símbolo do establishment político de hoje)!
****

Enfim, a estupidez argumentativa que esses ativistas – de todas as facções, cores, partidos, crenças, status socioeconômicos e formação educacional – têm demonstrado é vergonhosa. Pena que eles não percebem isso! [Isso para não citar a vergonhosa verborragia do ex-presidente Lula, com suas inadequadas e irresponsáveis comparações!]

Gibson

O Brasil de ontem e de hoje

Gibson da Costa Em 2013, incendiaram as ruas, em protestos contra a corrupção e o descaso. Em 2014, votaram absolut...