quarta-feira, 18 de junho de 2014

Democracia se faz com ideias e voto, não com xingamentos!


Sinto-me muito desconfortável com todo esse clima de “nós contra eles – eles contra nós; os justos contra os injustos – os injustos contra os justos; os bons contra os maus – os maus contra os bons” que se instala no Brasil durante épocas eleitorais. Se isso, de certa forma, sempre ocorre, este ano parece estar muito pior – e o contexto histórico, obviamente, explica bem.


O engraçado é que os adjetivos e as interjeições deselegantes (tipicamente adolescentes) que os pseudo-politizados de hoje costumam vociferar por aí mais parecem um esconderijo para quem não quer, ou não tem a competência para, participar da política democrática: aquela que toma forma na discussão de IDEIAS e no VOTO consciente.


Como não tenho o mínimo desejo de me esconder da política democrática, se você quiser discutir IDEIAS, para que possamos FAZER ESCOLHAS CONSCIENTES QUANDO VOTARMOS, estou aqui. Mas se a única coisa que você sabe fazer é utilizar adjetivos depreciativos para qualificar a este(a) ou aquele(a) político(a), por favor, não tome o meu precioso tempo!


Todos sabem que estou, politicamente, inserido naquilo que chamo de “DIREITA DEMOCRÁTICA” – não a pseudo-direita que gasta seu tempo xingando os políticos da (pseudo)esquerda nas “redes sociais”. Assim, sou um opositor declarado da maneira de fazer governo da atual gestão federal – filosófica e politicamente bem alicerçado, apesar de os pseudo-politizados de hoje acharem que só eles são inteligentes! Minha oposição, entretanto, é ao personagem político, não ao ator fora do palco (se é que você consegue me entender!). Como a noção de civilidade é extremamente importante para minha noção de política democrática, xingamentos pessoais não são parte de minha forma de ver, entender e fazer política enquanto cidadão – e isso vale para todas as direções.


Gibson

O Brasil de ontem e de hoje

Gibson da Costa Em 2013, incendiaram as ruas, em protestos contra a corrupção e o descaso. Em 2014, votaram absolut...